À venda a casa do filme ''Me Chame pelo Seu Nome''

À venda a casa do filme “Me chame pelo seu nome”

À venda a casa do filme

Villa Albergoni foi colocada à venda por 1,7 milhões de euros

À venda a casa do filme  – Em respeito a dois anos atrás o valor desta casa histórica aumentou muito

À venda a casa do filme – Esse aumento foi graças à escolha do diretor Luca Guadagnino de ambientar a história de amor entre os dois jovens protagonistas do filme que ganhou um prêmio Oscar. Muitos são os turistas que querem conhecer a casa, mesmo que seja somente pelo lado de fora, visto que a propriedade não está acessível para visitantes. A ex-fortaleza italiana transformada, no século XVII, em uma residência habitativa, surge na pequena cidade de Moscazzano, na província de Cremona, no coração de dois hectares de verde. Os proprietários, filhos do professor que deu nome à mansão, vivem muito distantes da localidade lombarda e, por isso, decidiram vendê-la.

A  casa, declarada de interesse histórico-artístico, tem tetos com afrescos, antigas molduras douradas, bem como paredes revestidas de tecido. Além disso, acredita-se que tenha alguns afrescos de Aurelio Busso que no decorrer dos anos tenham sido cobertos. Os 17 cômodos que compõe a residência se espandem por 1400 metros quadrados e incluem 8 quartos e 7 banheiros. Villa Albergoni conserva ainda o seu imponente aspecto de estrutura fortificada, com a presença de torres angulares e grandes portões de ingresso esculpidos.

O átrio leva até uma biblioteca com estantes altíssimas e uma linda lareira. O salão principal também é enriquecido com uma lareira esculpida. A sala foi o ambiente no qual a interior designer Violante Visconti di Modrone se focalizou na sua primeira experiência como designer de produção para a película de Guadagnino, e decorou o ambiente em estilo anos 30, colocando tapetes de época e pinturas japonesas. No andar de cima ficam os quartos, quase todos com suíte, e o grande terraço que se abre sobre a fachada. O exuberante jardim externo foi adaptado pela paisagista Gaia Chaillet Giusti, que inseriu uma pérgola e árvores de pêssego e damasco.