Crédito imobiliário cai 5,2% e atinge R$ 3,80 bilhões em março

Crédito imobiliário cai 5,2%

Crédito imobiliário cai

Crédito imobiliário cai 5,2% e atinge R$ 3,80 bilhões em março, diz Abecip

Os financiamentos para a compra e a construção de imóveis totalizaram R$ 3,80 bilhões

Crédito imobiliário cai

Crédito imobiliário cai

Crédito imobiliário cai, os financiamentos para a compra e a construção de imóveis totalizaram R$ 3,80 bilhões em março, queda de 5,2% em relação ao mesmo mês do ano passado e avanço de 7,7% em relação a fevereiro.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 26, pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) e consideram apenas os empréstimos com recursos originados nas cadernetas de poupança.

No acumulado do primeiro trimestre de 2018, os financiamentos chegaram a R$ 11,19 bilhões, crescimento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2017. Nos últimos 12 meses encerrados em março, os empréstimos alcançaram R$ 44,28 bilhões, recuo de 3,2% frente aos 12 meses anteriores.

Unidades

O levantamento da Abecip registrou o financiamento da construção e da compra de 15,3 mil imóveis em março, baixa de 1,0% ante o mesmo mês de 2017 e crescimento de 16,9% em relação a fevereiro deste ano.

No trimestre, os financiamentos alcançaram 44,26 mil imóveis, crescimento de 8,2%. Em 12 meses, chegaram a 178,98 mil imóveis, queda de 7,2%.

Reduções de juros

Em abril, a Caixa reduziu em até 1,25 ponto percentual as taxas de juros do crédito imobiliário para operações com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

O limite de cota de financiamento do imóvel usado subiu de 50% para 70%; A Caixa também retomou o financiamento de operações de interveniente quitante (imóveis com produção financiada por outros bancos) com cota de até 70%.

O banco reduziu em média de 1 a 2 pontos percentuais ao ano as taxas do crédito imobiliário para pessoa jurídica.

Em agosto, promoveu uma redução de até 0,5 ponto percentual das taxas de juros do crédito imobiliário para operações com recursos do SBPE.

O limite de cota de financiamento de imóveis usados para pessoa física subiu de 70% para 80%.

A Caixa tem R$ 85 bilhões disponíveis para o crédito habitacional este ano. No primeiro semestre, foram contratados mais de R$ 40 bilhões.

O banco tem cerca de 70% das operações para aquisição da casa própria.

OTempo de Serviço (FGTS) o SFH financia imóveis de até R$ 800 mil em todo o país, exceto para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde o teto corresponde a R$ 950 mil.

Os imóveis residenciais acima dos limites do SFH são enquadrados no SFI, que financia imóveis com recursos de poupança.

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br