Majestic Cyrela o empreendimento teve inspiração árabe oriental

Majestic Cyrela

Majestic Cyrela

Majestic Cyrela

O empreendimento possui 8 edifícios, apartamentos de 169m²

Majestic Cyrela – A planta do empreendimento Majestic teve inspiração árabe oriental, com estilo e paisagismo exuberantes. Foram plantadas belas palmeiras e tamareiras, e usados desenhos de piso e serralherias nos detalhes de lobbies e áreas comuns, além de peças exclusivas por todo o empreendimento. Com vista para o verde do bairro, o Majestic tem área total de 28.341,16m² com 8 edifícios, apartamentos de até 169m² e coberturas de até 343m².

Barra da Tijuca

Barra da Tijuca é um bairro da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro, no Brasil. O bairro faz parte da região administrativada Barra da Tijuca. Tem como bairros vizinhos Itanhangá, Camorim, São Conrado, Jacarepaguá, Recreio dos Bandeirantes, Curicica e Joá.[3] Assim como Jacarepaguá, é um dos bairros que mais cresceram no Rio de Janeiro na virada do século XX para o século XXI; passou de 24 126 habitantes em 1980 para 135 924 habitantes em 2010. Atualmente, é considerado um centro financeiro, gastronômico, hoteleiro e de entretenimento da capital estadual. Tem sido alvo da migração de outros bairros do município. Estima-se que a população da Barra irá dobrar até 2030.

A Barra foi a casa da maior parte dos Jogos; Olímpicos de Verão de 2016 e dos Jogos Paralímpicos de Verão de 2016. A escolha da Barra para tal função se deveu por ela ser a parte mais moderna do Rio de Janeiro; e ter espaço suficiente para abrigar os jogos. Tal fato tem levado a um rápido crescimento em obras de infraestrutura para modernizar a região e também à ligação com o metrô para o resto da cidade do Rio de Janeiro.

“Barra” é um termo que define depósitos de aluvião formados na desembocadura de rios e canais. No caso da Barra da Tijuca; o depósito é formado pelo encontro das águas do conjunto de lagoas da região (entre as quais, a Lagoa da Tijuca) com o Oceano Atlântico; através do Canal da Joatinga. “Tijuca” é um termo de origem tupi antiga que significa “água podre”, “charco”, “pântano”, através da junção dos termos ty (“água”) e îuka (“podre”).