Mercado imobiliário 2020, onde investir na crise da pandemia?

Oportunidade na crise

Mercado imobiliário 2020

Mercado imobiliário 2020.

onde estão as oportunidades e os riscos.

Mercado imobiliário 2020, Marcelo Hannud, consultor imobiliário da XP, explica as razões da maior resiliência dos FIIs e as chances de termos um novo patamar de preços no mercado.

Na visão de Marcelo Hannud, consultor imobiliário da XP Investimentos e apresentador do podcast Banco Imobiliário, não. Nesta entrevista realizada no dia 24 de março para a campanha #InfoMoneyOrienta, que procura ajudar os leitores a se planejar e investir melhor apesar da volatilidade dos mercados, ele explica por que considera que vivemos uma situação atípica e temporária.

Quais as expectativas dos empresários do setor imobiliário neste momento?

“No segmento residencial os estoques estavam caindo e novos lançamentos aconteciam. O clima era positivo também nos segmentos de shopping centers, hotéis, prédios corporativos, galpões logísticos”, diz.

Em poucas semanas, a sensação passou a ser a de uma guerra. Na sua avaliação, as áreas que mais inspiram cuidados no momento são as que dependem do varejo, do fluxo físico de pessoas, como é o caso dos centros de comércio, hotéis e restaurantes. “Há uma preocupação em tentar compor equações, parte delas arcadas pelos próprios empresários, parte pelos governos. Mas não há definições”, diz o especialista.

Dadas as quedas recentes, já é hora de investir em imóveis?

Hannud diz que, se a análise do imóvel indica que se trata de um bom ativo – em termos de localização, liquidez, qualidade construtiva, entre outros aspectos –, momentaneamente depreciado, provavelmente é uma boa oportunidade de adquiri-lo. “Os bons momentos vão voltar, e rápido. Se faz sentido para você, é hora de comprar”, diz.

Que tipos de ativos têm chances de se recuperar primeiro?

“Estávamos em uma curva ascendente e, de repente, tivemos um abismo agudo. Os ativos que sofreram essa quebra abrupta, que estão sendo mais depreciados, são os que devem se recuperar mais rapidamente”, diz Hannud. Isso porque eles sofreram uma descontinuidade do dia para noite, e devem passar pelo efeito inverso mais à frente. Caso dos hotéis, por exemplo.

Fonte: Infomoney