Aquece o mercado imobiliário em Goiânia, e anima investidores.

Mercado Imobiliário

Mercado imobiliário Goiânia

Mercado imobiliário em Goiânia

Aquece o mercado imobiliário em Goiânia

Mercado imobiliário em Goiânia, tem maior alta no preço de imóveis em agosto entre 25 grandes cidades, diz pesquisa.

Índice da FipeZap apontou reajuste de 0,30% no mês. Além disso, capital goiana tem 3º maior aumento no acumulado dos últimos 12 meses. Setor imobiliário comemora números.

Mercado imobiliário em Goiânia

No decorado: apesar da alta no preço, Janaína resolveu comprar um imóvel novo para investimento.

Goiânia teve a maior alta no preço de imóveis em agosto entre 25 grandes cidades, conforme apontou levantamento da FipeZap. A capital goiana registrou índice de 0,30% se comparado com o mês anterior. O setor imobiliário comemora os números e diz que eles comprovam que a “crise ficou para trás”. Já os consumidores, apesar do reajuste, entendem que este é o momento para investir, até com receio de um aumento maior.

Além disso, Goiânia ficou em terceiro lugar na avaliação dos últimos 12 meses, assinalando alta de 2,33%, atrás apenas de São Caetano do Sul (SP) e Vitória (ES).

“É muito bom porque mostra que a crise ficou para trás. Tivemos um primeiro semestre de muitos lançamentos e as empresas estão nos passando que estão vendendo bem”, disse ao G1 ,Roberto Elias, presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO).

Ele afirma que o preço do metro quadrado em Goiânia – um dos menores do Brasil – também influencia na aquisição. Além disso, outros fatores, como as eleições e até mesmo o agronegócio, são responsáveis pela situação de momento.

Oportunidade de momento

Vendo uma oportunidade de mercado, a advogada Janaína Modesto dos Santos resolveu investir na compra de um apartamento que ficará pronto em 2021. Apesar da alta nos preços, ela garante que fechou negócio no momento certo.

“Me desfiz de um imóvel que tinha adquirido em Anápolis para comprar este, em Goiânia. Preferi comprar agora antes que a situação mude e o preço aumente ainda mais. Caso o mercado oscile, lá na frente eu talvez não consiga o mesmo preço”, destaca.

Fonte: G1