Pedra de Itaúna Barra da Tijuca | Muller Imóveis RJ

Pedra de Itaúna Barra da Tijuca

Península Barra da Tijuca Rio de Janeiro.

Pedra de Itaúna Barra da Tijuca

Maravilhoso condomínio na Barra

Pedra de Itaúna Barra da Tijuca – ótimo condomínio na Barra da Tijuca, conta com oito prédios e casas de alto padrão em seus 450.000 m². O Pedra de Itaúna oferece um magnífico contato com a natureza através do bosque próprio localizado no condomínio e os serviços de balsa para a praia e sistema de ônibus que integra Barra; Zona Sul e Centro, além de circular pela Barra da Tijuca.

Barra da Tijuca

A região da Barra era originalmente um complexo de dunas, assentada sobre uma ilha barreira; com vegetação rasteira típica de restinga. A área, cheia de alagadiços e imprópria para o plantio; permaneceu desocupada até meados do século XX, sendo frequentada apenas por pescadores. No ano de 1667, a região foi doada a religiosos beneditinos. Em 1900, as terras da Baixada de Jacarepaguá foram vendidas para a Empresa Saneadora Territorial e Agrícola S.A. (ESTA), ainda hoje grande proprietária de terras na área.

A concentração de grandes extensões de terras em mãos de poucos foi uma das causas do crescimento tardio; além da dificuldade de acesso à região; por estar separada do restante do município por grandes cadeias montanhosas componentes do Parque Nacional da Tijuca, com picos que variam de 800 a 1 200 metros de altitude.

A ocupação efetiva da região deu-se inicialmente pelas suas extremidades, nos atuais sub-bairros Barrinha e Jardim Oceânico, que possuem as mesmas regras urbanísticas e limites de construção; diferenciados de todo o restante da região.

Para atender aos novos loteamentos do Jardim Oceânico, foi construída, pela iniciativa privada; a Ponte Nova sobre a lagoa da Tijuca. O grande marco do início do desenvolvimento da Barra, no entanto, se deu na administração do governador do estado da Guanabara Negrão de Lima, que encomendou; ao urbanista Lúcio Costa, um projeto urbanístico para a região.

O Plano Piloto da Barra da Tijuca de 1969, similar ao Plano Piloto de Brasília, de inspiração no urbanismo racionalista, com grandes avenidas e grandes espaços abertos; marcou definitivamente o início do estilo de vida peculiar da Barra.

Na década de 1970, foi construída a Autoestrada Lagoa-Barra (incluindo o Túnel Acústico); que possibilitou o maior desenvolvimento do bairro, diminuindo o tempo de transporte para a zona sul da cidade do Rio. Por essa mesma época, consolidaram-se grandes condomínios fechados, inspirados num então novo modelo de vida, com destaque para o Nova Ipanema e o Novo Leblon.