Perlla constrói mansão de dois andares no Rio de Janeiro

Perlla constrói mansão de dois andares no Rio de Janeiro

Perlla constrói mansão de dois andares no Rio de Janeiro

Perlla constrói mansão de dois andares no Rio de Janeiro

“Vai ter dois andares com vários compartimentos e uma bela piscina”

Perlla constrói mansão de dois andares no Rio de Janeiro – A Famosa no mundo do funk, Perlla não poderia estar mais feliz pois já sendo proprietária de três imóveis está construindo uma mansão para morar com o marido e as duas filhas entre Recreio e Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Com apenas 29 anos, a cantora já tem uma casa onde mora com a família na mesma região e mais duas na Região dos Lagos para poder descansar com a família. Empolgada com o novo projeto, Perlla compartilhou a novidade com os seus seguidores no stories do Instagram e adiantou como será seu novo lar.

“Vai ter dois andares com vários compartimentos e uma bela piscina”, informou ela, mostrando a planta do projeto feito pelo arquiteto e também vídeos em que aparece “com a mão na massa” empurrando um carrinho de mão na obra da sua casa.

“Perla que tem as ideias e passa para o arquiteto o que quer, para que a sua mansão fique com do seu jeitinho e gosto. Falei para ela agora pararmos, né? Ela disse que quer fazer mais. Se não fosse cantora, seria arquiteta ou design de interiores”, contou o marido Cássio Castinhol;

Curiosidades sobre a Perlla

Perlla Fernandes dos Santos Castilhol nasceu na extinta Casa e Maternidade Santo Ignez, em Nilópolis, Baixada Fluminense, Região Metropolitana do Rio de Janeiro,no estado do Rio de Janeiro, em 28 de novembro de 1989. Filha de um casal evangélico, começou cantar aos quatro anos por influência de sua avó, fazendo parte do coral de sua igreja e fazendo parte também de um grupo teatral dirigido por Gilson Teatro Juventude Exportação.

Durante a infância, passada no bairro de Brás de Pina, Zona Norte do Rio de Janeiro, Perla ajudava o pai a coletar sucatas para vender para a reciclagem como forma de sobrevivência da família, sendo que também passou a vender bala e sorvetes “sacolé” na praia.