Permuta de imóveis - Permuta de imóveis: tudo o que você precisa saber

Permuta de imóveis

Permuta de imóveis

 

 

Permuta de imóveis

Permuta de imóveis: tudo o que você precisa saber

Permuta de imóveis – A permuta de imóveis é uma prática bastante comum no mercado imobiliário, sendo uma alternativa de pagamento vantajosa entre alguns vendedores e compradores.

 

Em tempos de crise, essa solução de venda imobiliária tende a crescer, já que é uma forma de arcar com grandes valores, sem necessariamente ter que lidar com empresas de acionamento de crédito para empréstimos e financiamentos.

 

Por esse motivo, quando feita corretamente, a permuta de imóveis pode trazer muitos benefícios aos envolvidos.

 

No artigo de hoje, conheça tudo o que você precisa saber sobre permuta de imóveis, quais as vantagens e desvantagens, bem como os cuidados necessários para realizar esse tipo de negociação. Acompanhe a leitura!

O que é permuta de imóveis?

A permuta de imóveis nada mais é que uma modalidade de negócio em que as duas partes trocam bens imobiliários ao mesmo tempo. Ou seja, é possível fazer a troca de casas, apartamentos, terrenos ou imóveis comerciais.

 

Não é preciso que essa permuta seja feita com valores totalmente equivalentes, já que uma das partes pode realizar a compensação financeira, diante das condições de pagamento previamente realizadas.

 

Por exemplo, um imóvel de menor valor pode ser trocado por um de maior valor, desde que a parte onerada arque com a diferença.

 

Seja por compensação em dinheiro, manutenção das condições da casa (contratação de uma empresa de pintura residencial), entre outras atividades acordadas.

 

A permuta imobiliária é uma transação comercial reconhecida como um processo legal, ou seja, ela possui segurança jurídica. Por isso, é válida como parte da compra e venda de imóveis no Brasil.

 

No entanto, para que ela tenha esse reconhecimento, é necessário que haja um acordo prévio entre as partes, principalmente em relação aos valores envolvidos.

 

Por exemplo, se no acordo está descrito que o proprietário do imóvel de menor valor vai ter que arcar com os custos de uma instalação elétrica externa, é fundamental que isso esteja disposto no contrato, para não ocorrer irregularidades.

 

Além do mais, é importante que os compradores façam uma avaliação prévia dos imóveis, para fixar o preço justo. 

Como é feito o contrato de permuta de imóveis?

O principal cuidado que deve ser tomado no processo de permuta de imóveis diz respeito à escritura pública. 

 

É imprescindível que o contrato seja feito dentro dessa regularidade, para evitar quaisquer problemas com pagamentos e outros tributos.

 

Além do mais, outro ponto importante em relação à negociação de permuta de imóveis é a responsabilidade no pagamento de impostos, bem como a data de entrega de cada um dos bens (que deve constar no documento).

 

A permuta de imóveis só pode ser realizada entre bens solo, que são passíveis de incorporação. Entre alguns exemplos estão:

 

  • Casas e apartamentos construídos ou em construção;
  • Unidades de incorporação;
  • Lotes de divisão de terreno;
  • Prédios construídos para venda em unidades;
  • Terrenos resultantes de loteamento;
  • Terreno comprado para ser vendido.

 

Vale a pena ter em mente que a escritura custa de 4% a 6% do valor do imóvel. Ou seja, é um valor que deve ser considerado.

 

Contudo, a permuta imobiliária tem uma grande vantagem em relação aos outros tipos de negociação.

 

Ela pode isentar o pagamento do Imposto de Renda, ainda mais quando não existe a torna (complementação da diferença), isto é, quando os imóveis têm o mesmo valor.

Quais as vantagens da permuta imobiliária?

A grande vantagem da permuta imobiliária é dispensar, em grande parte das vezes, a negociação com dinheiro.

 

Em muitos casos, ao invés do pagamento da diferença, o vendedor do imóvel de menor valor acaba arcando com outras despesas, como a própria manutenção do local.

 

Isto é, fazendo a troca de caixa de tomada externa, contratação de eletricistas, pedreiros e pintores, entre outros, dependendo das condições da casa.

 

Vale dizer que quando não há dinheiro envolvido na negociação, quer dizer, não há tomada de crédito, também não é preciso arcar com juros. 

 

Nesse sentido, a permuta de imóveis tem um impacto burocrático muito mais leve, ainda mais porque o acordo firmado na troca de bens é muito mais simples, em comparação aos pedidos de empréstimo ou financiamento.

 

Além do mais, vale lembrar que ambas as partes saem com imóveis nas mãos e, por vezes, até os reparos, como fazer um gaveteiro baixo já podem ser solucionados no contrato.

Quais cuidados são necessários na permuta de imóveis?

Embora todas as facilidades e vantagens da permuta de imóveis, esse tipo de negociação deve ser bem analisado antes da assinatura das partes, para não ter nenhuma dor de cabeça. Os principais cuidados são:

 

  1. Em relação à situação legal dos bens;
  2. Às condições expostas em contrato;
  3. Quanto à orientação de profissionais;
  4. Quanto ao preço dos imóveis;
  5. Em relação aos motivos da permuta.

 

A seguir, detalhamos um pouco mais cada um desses cuidados na hora de realizar a permuta de imóveis. Confira!

1 – Confira a situação legal dos bens

O primeiro passo é conferir se o imóvel ou propriedade pela qual se deseja fazer a troca está dentro da legalidade. 

 

Para isso, peça os documentos que comprovam a situação do bem e, em conjunto, também apresente a sua documentação.

 

Isso assegura que nenhum problema seja constatado durante a troca. Por exemplo, os imóveis que fazem parte de um inventário de partilha de bens não podem ser negociados, o que anularia o contrato.

2 – Fique atento às disposições do contrato

O contrato de permuta é um documento bastante diferente do compra e venda, por isso, merece um pouco mais de atenção em relação às disposições. 

 

Como ele é firmado em escrita pública, com data de entrega, é necessário avaliar quais são as principais responsabilidades.

 

Por exemplo, se um dos vendedores tiver que arcar com manutenção de solda em aço inox, o serviço deve aparecer no contrato e realizado antes da entrega do bem.

 

Além disso, é importante incluir cláusulas de pagamento como garantia da entrega do imóvel, bem como a presença de multa, caso alguma das partes desista do acordo.

 

Caso não haja torna (pagamento de diferença de valor), essa condição deve estar detalhada no contrato, para conseguir isenção do imposto de renda.

3 – Busque orientação de profissionais

Por mais que se tenha confiança entre as partes envolvidas, é fundamental contar com a presença de um profissional capacitado para a elaboração do contrato de permuta e orientação em relação ao processo.

 

Nesse sentido, um corretor de imóveis pode ser de grande valia na negociação de permuta, além de ajudar na busca de propriedades que oferecem um contrato seguro e eficiente para ambas as partes.

 

O profissional também ajuda a avaliar se o imóvel precisa de reparos, como serviços de eletricista instalador, manutenção de revestimentos, entre outros. Desse modo, todo o processo fica muito mais seguro.

4 – Verifique o preço dos bens

É comum que os proprietários avaliem seus bens como bem entendem. Mas esse “achismo” nem sempre está correto, ainda mais quando se tem um valor emocional no imóvel (aí o proprietário sempre acaba “chutando” o valor para mais).

 

Por esse motivo, é necessário realizar uma avaliação profissional do seu bem, para garantir que você não vai perder dinheiro ou negociar o seu imóvel por um preço absurdo.

 

Durante a avaliação, todos os pormenores são vistos – desde a necessidade de um serviço com furadeira de coluna, a presença de móveis planejados, as condições dos revestimentos e pisos, entre outros.

5 – Saiba os motivos da permuta

Assim como você tem seus motivos para vender um imóvel, o outro proprietário também tem razões para realizar a permuta. 

 

É importante saber o porquê da negociação, pois em alguns casos, você pode estar fechando um negócio com muitas pontas soltas.

 

Por exemplo, alguém que deseja trocar um imóvel com o seu, pois o interessado mora em uma vizinhança com muitos assaltos, tendo que trocar frequentemente o chaveiro residencial e instalar inúmeros dispositivos de segurança.

 

No final das contas, isso é um empecilho. Por esse motivo, é importante que ambas as partes sejam claras em relação às razões da permuta de imóveis.

Conclusão

A permuta de imóveis é um tipo de negociação bastante vantajoso para quem não quer arcar com a dor de cabeça de fazer um financiamento ou pedir um empréstimo para instituições bancárias ou de crédito.

 

Esse modelo de negócios tem crescido nos últimos anos, devido a sua praticidade, facilidade e porque todos as partes saem com um imóvel em mãos.

 

No entanto, é preciso adotar alguns cuidados para não errar na hora de fechar um contrato de permuta.

 

O artigo de hoje buscou orientar melhor os negociantes sobre esse tipo de venda, sendo uma maneira eficiente e simples de adquirir um imóvel novo.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.