Melhores imobiliárias de Alagoas recebem prêmio ADEMI

Prêmio Ademi 2018

Prêmio Ademi 2018 Alagoas

Prêmio Ademi 2018

Prêmio Ademi 2018 premia os melhores do mercado imobiliário de Alagoas. Cerimônia ocorreu no Espaço Armazém Usina, no Jaraguá.

Prêmio Ademi 2018

Ademi-AL

A Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi-AL) realizou, na noite desta quinta-feira (8), a 21ª edição do Prêmio Master Ademi. A cerimônia aconteceu no Espaço Armazém Usina, no Jaraguá, e homenageou os melhores empreendimentos imobiliários de 2018.

Com o tema “Do bordado da renda ao glamour do ouro: as riquezas que brotem em Alagoas”, o prêmio reuniu todo o mercado imobiliário, com empresários, corretores de imóveis, representantes de órgãos da engenharia e arquitetura.

A premiação

A premiação foi dividia em 20 categorias, entre elas Responsabilidade Social, Ambiental e Marketing Imobiliário. O presidente da Ademi-AL, Jubson Uchôa, destacou que cada categoria respondeu a vários critérios. “Na categoria de lançamento, por exemplo, participaram empreendimentos que vão começar a serem construídos e os que já estão prontos”. 

O momento também foi de confraternização com os representantes das mais importantes empresas responsáveis pelo setor imobiliário de Alagoas. “O objetivo do prêmio é fomentar melhorias nos empreendimentos, é abordar uma possibilidade das construtoras se empenharem ainda mais e reconhecer o trabalho produzido por elas”, destacou Jubson.

Alagoas

Alagoas é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado no leste da região Nordeste e tem como limites Pernambuco (N e NO), Sergipe (S), Bahia (SO) e o Oceano Atlântico (L). Ocupa uma área de 27.778,506 km², sendo ligeiramente maior que o Haiti. Sua capital é Maceió e a sede administrativa é o Palácio República dos Palmares. O atual governador é Renan Filho (MDB).

Inicialmente, o território alagoano constituía a parte sul da Capitania de Pernambuco, só vindo a conquistar sua autonomia em 1817, como punição imposta por D. João VI aos pernambucanos pela chamada “Revolução Pernambucana”; movimento separatista. Sua ocupação decorreu da expansão para o sul da lavoura de cana-de-açúcar da Capitania de Pernambuco; que necessitava de novas áreas de cultivo. Surgiram, assim, Porto Calvo, Alagoas (atual Marechal Deodoro) e Penedo, núcleos que orientaram, por muito tempo, a colonização e a vida econômica e social da região.